Quem sou eu

Minha foto
Jornalista, por conta de cassação como oficial de Marinha no golpe de 64, sou cria de Vila Isabel, onde vivi até os 23 anos de idade. A vida política partidária começa simultaneamente com a vida jornalística, em 1965. A jornalística, explicitamente. A política, na clandestinidade do PCB. Ex-deputado estadual, me filio ao PT, por onde alcanço mais dois mandatos, já como federal. Com a guinada ideológica imposta ao Partido pelo pragmatismo escolhido como caminho pelo governo Lula, saio e me incorporo aos que fundaram o Partido Socialismo e Liberdade, onde milito atualmente. Três filh@s - Thalia, Tainah e Leonardo - vivo com minha companheira Rosane desde 1988.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

FGV deveria anular questão que introduz "pegadinha" em vestibular


A    "A eleição de Jânio Quadros, em 1960, significou certa alteração de rumos da política brasileira com relação ao período iniciado em 1945. Tal alteração baseou-se:

A         No apoio que os comunistas emprestaram à candidatura de Jânio em troca da legalização do PCB, que ocorreria em 1961.
B         Na primeira vitória das forças trabalhistas em pleitos nacionais e no fortalecimento de novas lideranças sindicais.
C         No rompimento da hegemonia paulista e no descontentamento militar provocado pelas propostas eleitorais janistas.
D        Na inauguração de um novo estilo político baseado na valorização das estruturas partidárias e na definição clara de propostas políticas programáticas.
E         Na vitória de uma candidatura da UDN, que interrompeu a série de vitórias do PSD e do PTB, em arranjo político orquestrado por Getúlio Vargas".

Para os apóstolos do setor privado como exemplo de eficiência, e que permanentemente fazem campanha contra o ensino público, está aí um motivo para se decepcionar. Vestibular da Fundação Getúlio Vargas, um dos templos formulador de ideologia para o "livre mercado" elaborando pergunta de forma absolutamente confusa em prova de múltipla escolha, no seu item 50.
A Fundação indica o item E como resposta certa. O autor da questão ERROOU!! como bradava o saudoso Mario Viana, pioneiro nos comentários de arbitragem de futebol. Porque Vargas não teve nada a ver   com a eleição de Jânio. Já havia se suicidado em 54, logo não poderia orquestrar nenhum arranjo político. Nenhuma das hipóteses, aliás, teria que ser assinalada.
Como não considero professor da FGV tão desinformado, só posso entender que houve um sério equívoco de redação, se a pretensão era se referir às vitórias do PSD e do PTB, e não da "candidatura da UDN", como dá a entender o texto. 
Promoveram uma "pegadinha"e não uma questão de vestibular.


Um comentário:

  1. A Fundação Getúlio Vargas nunca fez jus ao nome.. e nestes tempos de desleixo com o conhecimento, vai fazer menos ainda...

    ResponderExcluir